Documento sem título
Voltar
Documento sem título
  
Terša, 12 de Dezembro de 2017



Novas concess├Áes para empresas recuam 5,8%

As libera├ž├Áes de empr├ęstimos para as empresas apresentaram forte recuo no m├¬s de maio. A m├ędia di├íria de concess├Áes caiu 5,8% sobre o m├¬s anterior, passando de um volume di├írio de R$ 5,494 bilh├Áes, em abril, para R$ 5,175 bilh├Áes no m├¬s passado, de acordo com dados do Banco Central (BC).

Os n´┐Żmeros parciais de junho apontam para nova queda, ainda mais pronunciada, de 8,8% nas libera´┐Ż´┐Żes di´┐Żrias para as companhias nos primeiros nove dias ´┐Żteis do m´┐Żs, na compara´┐Ż´┐Żo com o mesmo per´┐Żodo do ano passado, indicando que a revers´┐Żo pode n´┐Żo ter sido pontual.

Segundo T´┐Żlio Maciel, chefe do Departamento Econ´┐Żmico do Banco Central (Depec), desde o inicio do ano at´┐Ż abril as concess´┐Żes para as pessoas jur´┐Żdicas vinham crescendo fortemente, mas os dados de maio e as informa´┐Ż´┐Żes preliminares de junho mostram que esse movimento est´┐Ż "arrefecendo", diz.

As medidas prudenciais adotadas pela autoridade monet´┐Żria desde janeiro para tentar conter o avan´┐Żo do cr´┐Żdito ficaram restritas ´┐Żs modalidades voltadas ao consumo. Os empr´┐Żstimos para as empresas foram preservadas e sofrem apenas com o aumento da Selic, que tem reflexo no juro banc´┐Żrio cobrado dos clientes e j´┐Ż subiram 3,2 pontos percentuais no ano.

Ainda de acordo com o BC, as concess´┐Żes di´┐Żrias com juros prefixados apresentaram recuo de 5,5% em maio. Os empr´┐Żstimos com taxas flutuantes, em sua grande maioria voltados ´┐Żs grandes empresas, apresentaram queda semelhante, de 5,2% no m´┐Żs.

Fonte:Valor Economico