Documento sem título
Voltar
Documento sem título
  
Sunday, 19 de August de 2018



Profissionais autônomos têm dificuldades de lidar com o negócio e cometem erros

O sonho de muitos profissionais liberais é abrir o próprio escritório de advocacia, o escritório de contabilidade, o consultório médico. Tudo parece simples: ganha-se com o que o negócio render. Para o professor de administração e autor do livro “Empreendedores Esquecidos”, Fábio Zugman, a conta não é bem essa.

Ele alerta os profissionais liberais esquecem que também são empreendedores: precisam lidar com pessoas, adotar decisões sobre dinheiro e atrair e reter seus clientes. Realmente, não há necessidade de alguém formado atuando na sua área ficar aprendendo teorias de outro segmento. A não ser que o profissional tenha uma curiosidade pessoal por administração, a maioria dos profissionais quer saber o que funciona, avalia Zugman.

E pelo fato de muitos profissionais autônomos não se interessarem em saber como administrar bem o seu negócio, eles acabam cometendo erros que podem por fechar o sonho de ser o dono do próprio nariz.

Os erros mais comuns

O professor lista como erro mais comum o fato de os profissionais confundirem atividade profissional com pessoa física. É normal muitos profissionais liberais confundirem o dinheiro da empresa com o seu próprio, correndo o risco de se perder na contabilidade. É preciso manter um controle financeiro separado, no mínimo para saber quanto se está ganhando e gastando com a atividade profissional, e não errar na hora de pagar imposto, aconselha Zugman.

Outro ponto com que os profissionais autônomos costumam pecar é em relação aos limites entre trabalho e vida pessoal. Como a profissão faz parte da identidade dessas pessoas, é comum que a vida pessoal e profissional se atrapalhe. É preciso organizar para manter os limites e não deixar apenas o profissional tomar conta.

No mundo dos negócios, ser bom não é o bastante. É preciso entender que o cliente, muitas vezes, é leigo com relação ao assunto do qual trata o profissional. Por isso, é importante oferecer sinais de que o seu serviço vale a pena. Do local de atendimento à apresentação do profissional, o modo de se colocar com o cliente, a forma como o atendimento é finalizado e a cobrança é feita, uma infinidade de detalhes é usada pelos clientes para decidir se um profissional é bom ou ruim, afirma.

Sendo um empreendedor

Para aproveitar o bom negócio, os profissionais autônomos devem ficar atentos a alguns pontos que podem fazer a diferença. A começar pelo planejamento financeiro e do tempo. Estabelecer rotinas é importante. Possuir processos bem organizados faz uma boa diferença na qualidade de um serviço, afirma o professor.

Ele explica que processos bem estabelecidos evitam desperdícios e economizam tempo. Deixe as decisões rotineiras em piloto automático. Outro ponto com relação a determinadas atividades. A cada atividade realizada, avalie se vale mais a pena investir seu tempo e conhecimento no assunto ou contratar um especialista, aconselha Zungman.

O professor reforça que os profissionais autônomos devem ficar atentos não apenas em ser bons no que fazem, mas também em saber conquistar clientes. É útil formular cada etapa como uma pergunta: como um cliente em potencial descobre que você existe? Como ele marca um horário? Onde é atendido? Como é esse atendimento? O que acontece depois? Todos os detalhes devem ser pensados para criar uma experiência positiva ao cliente.

fonte: administradores.com.br